COMO ESCOLHER OS PATINS CERTOS

Esta é uma pergunta que muitos fazem antes se quer de saber patinar...

PATINS DE 3 RODAS

O Futuro dos Patins em Linha? ou Apenas uma Moda?.....

POWERSLIDE FOTHON

Ilumina o Teu Caminho e Patina de Noite com o Máximo Estilo!.....

POWERBLADING

Já Ouviste Falar de Powerblading? Convidamos-te a Conhecer Esta Nova Forma de Patinar com Adrenalina Máxima!.....

ROLLER DERBY

Já Conheces Esta Modalidade? Roller Derby Veio Para Ficar!...

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

2º Passeio Com Rodas Pelas Ruas da Cidade do Porto - Académico Skating Tour



É já no próximo dia 25 de Outubro que se realiza na cidade do Porto o 2º passeio em patins (bicicleta, skate e trotinete) organizado pelo Académico Skating, secção de patinagem do Académico Futebol Clube (AFC).
O percurso será o mesmo que o ano passado perfazendo um total de 12Km em duas voltas no circuito. 
Está confirmada a presença de alguns atletas da equipa de patinagem de velocidade do Arsenal de Canelas assim como a do Ricardo Esteves, atleta da equipa Nacional Clube Desportivo da Escola Internacional do Algarve.
Não percas a oportunidade de patinar nas ruas do Porto e passar uma manhã bem divertida sobre rodinhas!
Faz já a tua inscrição através do link do evento: 

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Patinagem de velocidade - Mundial por um fio!




Este post servirá para noticiar a mais recente noticia em relação à modalidade. Segundo noticia de o jornal "O JOGO" - "Portugal tem o Mundial em Risco", acrescento eu, por causa da antipatia e falta de visão dos dirigentes desportivos da Federação Portuguesa de Patinagem.

Esq.- Dir.: Alípio Silva, Diogo Marreiros, Martin Dias, Ricardo Esteves, Lívio Medeiros

Passo a explicar, na modalidade de patinagem de velocidade, regida pela federação portuguesa de patinagem, os mínimos para a presença de atletas no Mundial, é a obtenção de medalhas no Europeu (segundo o que tenho entendido). 

Concordo que tenham que haver critérios objectivos para não haver duvidas em relação a quem vai ou não a provas internacionais. O que não entendo é o porquê de tanta dificuldade, depois dos logros conseguidos, em objectivar a presença dos nossos atletas na maior montra mundial para eles e para a própria federação.

O problema que se coloca este ano é que como os medalhados do ano passado, medalhas de bronze na prova a Americana no Europeu e Mundial, este ano não obtiveram medalhas no Europeu (mas que obtiveram um 4º lugar), possivelmente não serão convocados. Será que não têm direito a defender o bronze do ano passado?

Pergunto eu, então e a Daniela Rodrigues, que este ano foi medalha de bronze no Europeu, também não é convocada? Quer dizer, talvez seja a uma semana da prova e faça a viagem (para a China) um dia antes de iniciar a competição, parece-me que assim reunirá todas as condições para realizar um excelente mundial...

Importante de referir é que a maior parte das selecções nacionais  já têm as equipas formadas e a trabalharem para o dito Mundial 2015. Estamos a um mês da prova, não seria importante colocar já os nossos patinadores focados e orientados para a competição? Afinal de contas a FPP não quer obter bons resultados nesta modalidade?  Ou será necessário que estes atletas se nacionalizem por outro país para lhes ser dado o devido valor?? 


Noticia do Jornal - O Jogo

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Testando Chassi Powerslide MegaCruiser 3x125mm



Como já falado aqui no blog, as 3 rodas em linha vieram para ficar, se o ano passado (2014) já haviam alguns patins com esta configuração, no corrente ano não faltaram propostas, até a hipótese de comprar uns chassis que permitissem transformar os nossos patins em autênticos aviões! Falo claro destes MegaCruiser 3x125mm
Optei pela versão Gold porque esteticamente ficam mais bonitos na minha bota Rollerblade Twister Le Verde!


Antes de mais, deixem-me lembrar que estes chassis vêm apenas com a furação 165 mm, ou seja é imperativo que a bota tenha esta distância entre os pontos de fixação do chassi, de outro modo não conseguem montar este equipamento nos vossos patins.
Este set apresenta-se como uma opção bastante económica, pois não esquecer que estamos a falar de dois chassis em alumínio, 6 rodas 125 mm, 6 rolamentos ABEC 9, eixos e espaçadores incluídos!  
Quanto aos materiais nada de relevante a apontar, apenas que o chassi é feito em alumínio 6063 estampado e depois quinado o que confere à estrutura um suporte e rigidez qb...


Com um pouco de receio, por causa do diâmetro das rodas (125 mm), la montei e fui experimentar este setup na marginal de Matosinhos...
Senti uma diferença quando me coloquei de pé, pois as rodas que tinha nos Twister eram de 80mm e passar para 125 mm foi um passo muito grande, mas essa diferença desapareceu em poucos segundos...
De facro o centro de gravidade aumenta sensivelmente, mas a manobrabilidade deste setup é impressionante, as rodas estão bem juntas fazendo com que o chassi tenha apenas 255 mm de comprimento, isto, juntamente com o facto de só existirem 3 rodas em contacto com o chão, faz com que as manobras de curva, viragem, travagem, etc, consigam fluir em poucos minutos de utilização.

Comparativamente com os chassis de origem da RB que equipam os meus Twister LE, a distancia total de topo a topo com rodas montadas é de 330 mm e no caso do Chassi MegaCruiser 375 mm, logo, embora sejam rodas de 125 mm, o comprimento total só aumenta 45mm, menos de meio centímetro! Para o meu tamanho de pé (43 EU) não sinto muita diferença entre o chassi 4x80 e o 3x125 no que a manobrabilidade toca. 


Com este chassi consegue-se ultrapassar a fasquia dos 30 km/h com alguma facilidade, tendo ainda um bom controlo sobre o patim mesmo a velocidades superiores...

Depois deste pequeno teste passei para um segundo, este mais "a sério", fazendo Porto - Praia de Esmoriz (Juntamente com os outros 2 autores deste blog e integrantes da RS Team).



Da esquerda para a direita: Euzinho, Diana Santos, Fernando Santos, Penetra (Ivan)

Como podem ver no gráfico atingi uma velocidade máxima de 38,02 km/h e uma média de 14,85 km/h.
Patinamos quase 3 horas por vários tipos de piso, desde calçada portuguesa, paralelo, passando por terra batida, passadiços de madeira e o maravilhoso alcatrão. No final não senti nenhum desconforto tanto a nível da bota (RB Twister Le Verde) como ao nível do Chassi e Rodas (PS MegaCruiser 125 mm).
Como nota final deixo aqui alguns tópicos que destaco destes Powerslide MegaCruiser 3x125:


Positivo:
Preço, boa manobrabilidade apesar da altura, rápidos e estáveis a alta velocidade, habituação muito rápida. Passar irregularidades na estrada é muito mais fácil, menor nível de trepidação, fácil montagem e afinação.
Negativo:
Para freeskate ou truques de slalom deixam um pouco a desejar pois derivado à sua altura aumenta a pressão nos laterais do pé e com alguns minutos deste tipo de patinagem sentimos essa pressão nos tornozelos. Apenas duas cores à escolha que por vezes limita a compra por questões estéticas.
Conclusão:
Sem dúvida uma opção a ter em conta para quem gosta de "papar" quilómetros em patins sem comprometer a maneabilidade e manobrabilidade, saltos, curvas apertadas, travagens, derrapagens, slides... Tudo é possível com estes MegaCruiser 3x125!


Setup de Fernando Santos: Powerslide S4 FSK + PS MegaCruiser 3x125 Red - Em pleno teste todo-terreno!



quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Maratona Pamplona - Puente la Reina - O Testemunho


Neste artigo vou tentar expressar as minhas sensações no decorrer desta aventura. Demorei uma semana pois precisei de "mastigar" o que senti no passado fim de semana!


Sexta-feira foi o dia definido para a nossa partida para Pamplona, no entanto, já saímos de Aveiro no dia 19 à meia noite e pouco. Fizemos a viagem de carro até Bilbau (para apanhar o passageiro que faltava). Chegamos a Pamplona por volta das 10h locais. O dia começou bem e acabou bem mas pelo meio muitos imprevistos aconteceram. Desde ter comido o pior frango da minha vida, até (bem pior) o nosso carro ter desaparecido de onde estava estacionado.... Não sei quanto aos meus companheiros de viagem, mas eu fiquei sem chão, é mesmo caso para dizer... "E agora??!!". Graças à simpatia de uma senhora residente na cidade conseguimos perceber o que tinha acontecido. O carro tinha sido "roubado" pela policia municipal!! A história ficou em 130 paus, pumbas, toma embrulha!! Falo nesta peripécia porque de facto foi uma situação caricata e que marcou a viagem!



Melhores coisas viriam, à tarde após período de descanso fomos fazer um pouco de roller turismo pela cidade, bem gostoso que foi. Notem bem, cidade patinável e onde condutores, estranhamente para mim, respeitam patinadores sem que buzinem feitos loucos!! Assim se passou o sábado.



Levantamento dos dorsais. 
Paragem para umas tapas
Tugas todos reunidos 
Regresso a casa após as tapas
Domingo, dia da prova. Acordamos cedinho e fomos de patins para o local da partida. Pelo caminho paramos para pequeno almoço. Soube bem esta patinada matinal. 
Chegamos bem a tempo para o inicio da prova. Tantos patinadores. É de facto extraordinário sentir uma partida assim.


Sitio da partida
O meu local para partir
Momentos antes de partir
Partida da prova às 10h. E lá fui eu... Começou bem, a descer! Senti-me bem. A primeira subida custou, mas fez-se bem. As minhas pernas e a minha cabeça responderam relativamente bem até aos 20Km, sabia que não estava extremamente bem classificada, mas que estava bem. Até que apareceu a subida da 2ª meta volante!! Minha nossa... As pernas começaram a dar de si, a acusar a falta de treino! A cabeça bateu mal, pois sabia que só estava a meio da prova (por mim, acabava já ali).  A minha esperança é que, na minha cabeça estava um gráfico com bastante descida até à ultima subida. A descida do gráfico mudou de declive... Desceu sim, mas qualquer subidita que fosse era uma verdadeira tortura... Mas lá ia encontrando motivos para continuar, ora apanhava um pelotão, ora ia sozinha! 


O momento da prova mais terrível, foi ver ao longe a subida para o prémio de montanha... Quase me atirei para o chão a fazer uma birra... Mas pensei, não vai custar tanto assim. 2,5Km de subida  dolorosa, nunca 2,5Km me tinham custado tanto a fazer... Mais uma vez pensei, fico já aqui!! Mas avistei um senhor bem entradote e pensei, se ele consegue eu também! Fomos dando forças um ao outro, até que descolei dele nos últimos 800m de subida. Na minha cabeça só existia o pensamento que depois da subida era sempre a descer... Esse foi o meu pensamento nos últimos 800m de subida "a  seguir é sempre a descer... a seguir é sempre a descer...". Até que chegou a descidita tão pequenita, e voltou a subir!! A inclinação era para mim enorme, na verdade, quase nenhuma... lol



Mas se não tinha desistido até ali, não seria nesta ultima fase da prova... Vinha o que todos diziam ser uma descida perigosa. Digo-vos já, bendita descida, soube tão bem. Pena foi não ter sido sempre a descer vertiginosamente até à meta  :)



Nunca pensei ser tão bom ver a recta da meta.. A qual era interminável... lol



Na 1ª metade da prova
Algures entre Pamplona e Puente la Reina
Durante a prova
Na SUBIDA
A DESCIDA ;)
Cheguei sã e salva. À nossa espera estavam os sacos para levantar e comida. Lá fui levantar as minhas coisas e buscar comida. Já estava eu a comer a bela da massa quando fui buscar algo ao saco que me tinham dado e reparei que tinha algo. Um conjunto de rodas 110mm da rollerblade, rodas topo de gama. Percebi que tinha ganho um sorteio que estavam a fazer para a categoria de populares (atletas não federado). Maravilha, correu bem ;)


Chegados a Pamplona, após pequena viagem de autocarro, voltamos a calçar os patins e fomos até ao apartamento de patins. E, que bem que soube! Parece um pouco louco, mas não. Ainda bem que o fizemos ;)



Aqui fica o meu agradecimento publico a quem me acompanhou nesta aventura. Obrigado Adriano, Fábio, Hélder, Hugo e Tiago. Quando repetimos??



Para o ano quero voltar, com mais treino e com o objectivo competitivo de melhorar a minha classificação. Gostei da experiência e por mim teria voltado logo na semana a seguir!! 



Máxima: "Vai que dá..." :)



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Maratona Pamplona - Puente la Reira - P2P



É já no próximo Domingo dia 13 de Setembro de 2015 que se realizará a Maratona P2P - Pamplona-Puente la Reina. Esta é conhecida por ser a maratona mais dura do mundo a ser feita sobre patins. O traçado inclui um prémio de montanha e duas metas volantes.
Para terem uma ideia do nível de dificuldade do percurso aqui fica um gráfico bem elucidativo: 

Parece bem? A mim pessoalmente sim ;)

Pois bem, como não poderia deixar de ser, temos tugas inscritos nesta prova. A RS Team estará presente com a Diana Santos também atleta da Lusitana Roller Team. Com ela vão mais cinco tugas. Quatro patinadores dos Caravela Roller Team - Adriano Santos, Tiago Silveira, Fábio Sobral e Hugo Lopes. E ainda, enquanto individual, Hélder Martins atleta da velha guarda da patinagem de velocidade.

Eu tentarei, para além de completar estes duros 42km, fazer uma pequena reportagem na primeira pessoa, sobre esta mítica prova, para vos dar conta das sensações que irei experimentar no decorrer da mesma e assim poderem partilhar comigo do que por la passarei.

Em nome de toda a equipa da RollerAndSlide, desejamos boa sorte e força nas "canetas" a todos os corajosos que farão parte da comitiva tuga! Estaremos a torcer por vós :) 



segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Bootcamp With Flamin' Galah




No fim-de-semana de 5 e 6 de Setembro participei num Bootcamp de Roller Derby organizado pelas Lisbon Grrrls Roller Derby , no Clube Social e Desportivo do Bairro da Boavista, em Lisboa. Este Bootcamp contou com 19 atletas na classe de iniciados e 11 atletas da classe de avançados.
O Bootcamp foi dado pelo prestigiado Flamin' Galah, treinador da Team Australia, que acabou em 3º lugar na World Cup'14 e treinador das Victorian Roller Derby League's All Stars, que se encontram em 3º lugar no ranking da WFTDA. O horário do Bootcamp:

SÁBADO:
13H30 - Pagamento/Equipar
14H00 / 17H00 - BEGINNER / INTERMEDIATE class
17H00 - Break/Snack Time
17H30 / 20H30 - ADVANCED class
DOMINGO:
9H00 / 12H00 - ADVANCED class part I
12H00 - Break/Snack Time
12H30 / 15H30 - ADVANCED class part II


Sábado começou com uma aula para quem ainda não tem muita experiência ou que nunca tenha feito um jogo.

Foto By: Joana Borges
Nesta foto podem ver um pouco da aula, Flamin' Galah é o ultimo atleta com o equipamento Azul. Durante todo o Bootcamp ele manteve-se sempre muito interventivo para que todos soubessem o que ele desejava de cada um dos exercícios.
Mantendo sempre o foco no resultado final que desejava, foi começando por explicar as skills que queria que adquiríssemos e depois os movimentos específicos para as mesmas, e no final tudo combinado, resultou numa aula fantástica tanto para quem estava fazê-la como para quem estava a assistir na bancada...

Passado poucos minutos das 17:30h, começou a aula para quem já tinha alguma experiência, aula na qual participei com muito gosto.
A aula começou, tal como a anterior, com alguns skills de patinagem mas um pouco mais precisa e mais ágil que a anterior (tivemos que justificar o porque de estarmos naquela aula).
Depois de vários exercícios individuais, passamos para exercícios em pares em que treinamos os bloqueios e começando a aplicar as skills que tínhamos aprendido individualmente. O treino foi evoluindo passando de pares a trios e finalmente em 2 grupos que envolviam todos os skaters.



Tal como aconteceu na aula de iniciados, a evolução foi progressiva e os skaters em pista sentiram isso mesmo. Os exercícios eram executados de melhor forma, em menor tempo e com maior facilidade por parte dos atletas, o que resultou em rasgados elogios da parte do treinador.

Domingo aguardava-nos 6 horas de treino intenso com apenas 30 minutinhos de almoço, que passou a rolar, entre tirar protecções e tomar (no meu caso ) um super batido de proteína PFN.
Começamos com um aquecimento e fomos progredindo durante o dia, desta vez o treino foi mais específico em formações e offensives, foi um pouco mais desgastante fisicamente, mas todos adoramos e no final depois de 6 horas em cima de patins tínhamos absorvido todos os conhecimentos e garantidamente iremos usá-los.



A última foto com o Flamin’ Galah, que sempre se mostrou muito interessado em continuar em contacto connosco e a ajudar no que fosse necessário, quem sabe no futuro não terá oportunidade de jogarmos juntos...



sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Academia de Patinagem de Aveiro


É com muita felicidade que escrevo esta noticia. Este é um projecto pessoal que acredito ter pernas e rodas para andar.

A Academia de Patinagem de Aveiro surge com o objectivo de haver um espaço e um tempo para a aprendizagem/aperfeiçoamento da patinagem por parte de pessoas adultas. Eu acredito nunca ser tarde de mais para aprender o que seja!

Tenho que agradecer ao CENAP por me ouvir e abrir as portas do seu pavilhão em Santa Joana para receber a Patinagem para Adultos. É claro que se o teu desejo é aprender a patinar não te vamos mandar embora caso não sejas adulto!!

A primeira aula é experimental e está marcada para o dia 5 de Setembro ás 15h no pavilhão de Santa Joana - Aveiro.

Se tens patins, e queres passar um bom bocado este sábado aparece. Se não tens,  e queres experimentar envia mensagem através do facebook - academiadepatinagemdeaveiro.

Nota: o programa das aulas para Setembro ainda está a ser analisado e será publicitado atempadamente no nosso facebook ;) 




quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Ricardo Esteves - Entrevista



Ricardo Esteves, atleta de Patinagem de Velocidade, é uma figura incontornável no panorama actual desta modalidade em Portugal, tanto por ser amigo da família RollerAndSlide, como por ser o Atleta e pessoa que é! 
Podem conferir à continuação uma pequena entrevista que este herói tuga com rodas nos pés fez à RS e verificar que patinar não se pratica... Vive-se!
Dados Pessoais:
Nome: Ricardo Rodrigues Esteves
Idade: 26
Profissão: Patinador
Onde Mora: Natural de Canelas -  Estarreja, a viver em Armação de Pêra no Algarve.
- Com que idade começaste a praticar desporto? Comecei aos 5 anos de idade.
- Com que idade calçaste por primeira vez uns patins? 5 anos de idade (sorriso).
- Em que clube começaste a treinar? Associação Desportiva Arsenal de Canelas (ADAC)
- Por que clubes passaste? 20 anos a representar o Arsenal de Canelas, actualmente represento a equipa nacional Clube Desportivo da Escola Internacional do Algarve e a equipa internacional Nobel Education Network.
- Quais as tuas maiores conquistas? Medalha de bronze na Estafeta Americana no Campeonato da Europa e Campeonato do Mundo em 2015.
- Qual achas ser a tua prova rainha? 200 e 300 metros contra relógio.
- Qual o teu primeiro titulo? Campeão Nacional de Indoor


- Quais as próximas provas que irás competir? Dia 19 e 20 de Setembro no Patinódromo do Arsenal de Canelas, o Campeonato Nacional de Pista e nos dias 2, 3 e 4 na Ilha da Madeira o Torneio Internacional Biosfera RollerSkate.
- Qual o teu objetivo futuro (a nível desportivo)? Representar a selecção nacional no Campeonato do Mundo que se realiza na China Taipe em Novembro.
- Quando foi a 1 vez que representaste a selecção nacional? No ano de 2005 em Itália na cidade de Cardano al Campo.
- Quando pensas representar de novo? Em Novembro, no Campeonato do Mundo, se tudo correr bem, claro!...
- Qual o teu Ídolo no mundo da patinagem? O colombiano velocista Andres Muñoz. 

- Quais os teus patrocínios e/ou apoios? Neste Momento sou patrocinado pela loja Purafibra e os Suplementos PFN.
- Como vês a patinagem de velocidade em Portugal no futuro? Na verdade vejo um pouco cinzenta pois, infelizmente, vemos a Federação sem qualquer objectivo que visa aumentar o número de atletas e condições para a prática da modalidade, deixando assim os clubes a suportar praticamente tudo.
- Por fim, que conselho dás aos jovens que hoje em dia se iniciam nesta modalidade em particular e na patinagem no geral? O meu conselho para os jovens, e menos jovens também, é que podemos não ser os melhores, mas se gostamos de patinar devemos continuar,  é um desporto magnifico pois dá-nos uma liberdade que poucos dão, e depois temos o factor velocidade que nos enche de adrenalina. Eu amo patinar!!


Obrigado Ricardo, em nome de toda a equipa da RS e desejamos-te muito sucesso pois determinação, esforço e humildade já tens de sobra! 



Como nota final deixamos o convite a todos os atletas desta ou qualquer outra modalidade em patins, que queiram participar nesta página no sentido de divulgarem a vossa vertente de patinagem e ao mesmo tempo os patins no geral, podem contar com este espaço para o fazer. Para isso podem enviar por para o nosso e-mail: geral@rollerandslide.com, o que quiserem, notícias, eventos, informações sobre escolas, clubes, etc.
Convidamos a todos fazer parte deste projecto!


quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Patins vão à Trindade no Porto



É já no próximo Sábado, em frente à estação do Metro da Trindade em pleno coração do Porto, o Académico Skating, com a colaboração da RollerAndSlide e Powerslide Portugal, estará durante todo o dia a divulgar os patins em linha como modalidade desportiva e de recreativa.
Patinadores e curiosos que estiverem pelo Porto nesse dia, estão todos convidados para darem umas patinadelas com autorização e chancela da Câmara Municipal do Porto

Patinagem de velocidade - História



Vou começar este artigo com uma breve história de como surgiram os patins. 
Joseph Merlin, nasceu na Bélgica em Setembro de 1735, era mecânico e fabricante de instrumentos musicais. Numa ida a Londres em 1770, exibiu alguns dos seus projectos, entra eles um "patim de rodas".


No entanto, Merlin, resolveu levar a sua invenção - os patins e um violino para um baile de máscaras em Soho Square. O pior aconteceu, sem saber como travar, chocou com um caríssimo espelho partindo-o e magoando-se bastante.

Este feito fez resfriar a febre dos patins...
Só em 1790 surgiu mais um projecto de patins. No entanto só depois de 1818, em Berlim, é que é dada a primeira patente de patins.

Em 1823 na cidade de Londres é dada outra patente ao chamado "volito", eram 5 rodas presas numa linha recta. Este aparato podia ser preso a botas ou sapatos com o objectivo de viajar ou para lazer.

É na Alemanha que a patinagem passa a ser um fenómeno popular. Pistas foram feitas em todo o mundo, os patins evoluíram bastante. 


A Patinagem em Portugal


Em Portugal, à data de 1912, a patinagem surgiu de uma forma recreativa. Eram realizados com frequência festivais onde se realizavam gincanas, espectáculos de grande beleza com o sector feminino em grande destaque. Os rapazes também contribuíam mas com saltos e com as primeiras corridas de velocidade.

Os principais clubes a participarem nestas corridas eram o Futebol Benfica, O S.L.B. O grupo Dramático e Sportivo de Cascais, a Associação Desportiva de Oeiras e o Paço de Arcos. 
Foi nos anos 50 (1953-54) que se deu uma primeira fase de auge neste desporto, quando no intervalo dos campeonatos do mundo de hóquei, no pavilhão dos desportos, se realizaram estas corridas em patins. Personalidades como Neves de Carvalho, entre outros, campeões à data, disputaram estas provas.

Campeonato Europeu de Pista, Inzell - Alemanha 1990
Seguiu-se uma fase de interregno até quase ao anos 80. Foi em 1979 que pela mão de Neves de Carvalho e José Castel-Branco (à data presidente da FPP) se deu um novo impulso à modalidade - Corridas em Patins. Sendo registada a participação da selecção nacional no Campeonato da Europa de Absolutos em Pamplona, ainda com patins de 4 rodas. A discrepância entre os atletas lusos e os restantes era grande, desmascarando o grande atraso que se registava em Portugal nesta modalidade. 

Daí em diante, e com a vinda de técnicos italianos, a modalidade foi evoluindo aos poucos, até que em 1994 se registou uma primeira revolução nos patins. Começaram a aparecer, em Portugal, os patins em linha, com 5 rodas de 76mm. 



Os patins foram evoluindo, rapidamente passaram para  4 rodas em linha de 84mm. Foram passando por várias transformações do diâmetro das rodas (90mm, 100mm, 106mm, 110mm), no materiais das botas e frames, tudo em prol de se obter uma maior velocidade e conforto.  

Patins de velocidade 2015
Até que nos anos finais do século XX e inicio do século XXI, mais transformações existiram, nomeadamente no nome da modalidade, passando de Corridas em Patins para Patinagem de Velocidade. Pistas foram construídas, e não demorou para que Portugal organiza-se um Campeonato da Europa - Lisboa 98. Todo este investimento levou à obtenção das primeiras medalhas num campeonato Europeu. Campeonato este disputado em Paços de Ferreira - Portugal no ano de 2002. As campeoníssimas Célia Gonçalves e Nicole Silva, participaram no escalão de juniores e foram as heroínas de tamanha conquista. A Célia obteve medalha de prata nos 3000m pista e medalha de bronze no 5000m pontos pista; a Nicole foi medalha de bronze nos 500m pista.

Campeonato da Europa Lisboa 1998
Só mais tarde em 2006, em Martinsecuro - Itália, voltaram a existir lugares no pódio por parte da comitiva portuguesa, todos no escalão de cadetes. E que participação dos tugas! Quatro patinadores medalhados com especial destaque para Diogo Marreiros com a obtenção de 3 medalhas - 1 de prata nos 3000m pontos pista e duas de bronze nos 5000m pontos estrada e 3000m Americana pista juntamente com Jorge Macarrão e Paulo Pinho. No sector feminino Catarina Castaldo foi vice-campeã europeia nos 5000m pontos estrada.

Em 2007, mais uma mão cheia de medalhas para os tugas no Campeonato da Europa de cadetes, desta vez teve Herde na Holanda como palco principal. E foi Márcio Costa o patinador em destaque com a obtenção de três medalhas, uma a titulo individual nos 200m c/r estrada e duas em americanas. Portugal ficou em 3º  lugar nos 3000m americana pista, equipa formada por Márcio Costa, Martin Dias  e Tiago Mateus. E, 3º lugar nos 5000m americana estrada, equipa: Márcio Costa, Martin Dias e Germano Seabra.

Este foi um ano importante para a patinagem de velocidade dos concelhos de Estarreja e Ovar, pois foi organizado o Campeonato da Europa de Absolutos, sendo a  pista Canelense considerada a mais rápida da Europa, foram batidos alguns recordes da Europa e Mundo. Podem assistir aqui a um vídeo sobre os campeonatos e as características das provas realizadas 


Pista de Canelas - campeonato da Europa 2007
Partida dos 300m - Campeonato da Europa 2007



















O ano de 2008 voltou a ser repleto de bons lugares. No Europeu de Slagelse/Neastved - Dinamarca. Diogo Marreiros sagrou-se Campeão Europeu de juniores na distância de 20.000m a eliminar estrada, vice-campeão europeu de juniores na distância de 10.000m pontos/eliminar pista e medalha de bronze nos 1000m pista. 
Outras medalhas foram obtidas nas provas americana. Portugal sagrou-se vice-campeão europeu de 3000m pista na americana no sector masculino e feminino, equipas: Diogo Marreiros, Martin Dias e Márcio Costa e, Elisabete Batalim, Rafaela Sousa e Raquel Inácio. Foi ainda medalha de bronze nos 5000m estrada americana, equipa: Diogo Marreiros, Martin Dias e Jorge Macarrão.
Este foi um ano de ouro para Diogo, que não satisfeito com o logro conseguido na Dinamarca,  voltou a fazer história, conseguindo obter um extraordinário 3º lugar na Maratona do Campeonato da Europa de Absolutos realizado em Gera - Alemanha.

Em 2009, na cidade de Oostende - Bélgica, foi o ano de Martin Dias. Este sagrou-se Campeão Europeu de juniores nos 10000m ponts/elim. pista. Obtendo mais dois bronzes a titulo individual, nomeadamente, nos 15000m eliminar pista e 10000m pontos estrada. Em igualdade a anos anteriores, Portugal conseguiu também exibições de destaque nas provas colectivas - Americana. Então os juniores masculinos sagraram-se vice-campeões da europa na distância de 5000m estrada e obtiveram um 3º lugar nos 3000m pista. Equipas constituídas por Martin Dias, Germano Seabra, Márcio Costa e Tiago Mateus.
Neste mesmo ano, no Mundial de juniores em Haining - China, Martin Dias brilhou sendo 3º classificado na prova de 10000m pontos estrada.

Martin Dias - Campeão Europeu
 

Em 2010, foi a vez do escalão de juniores feminino brilhar em Itália - San Benedetto. Elisabete Batalim voltou a subir ao pódio desta feita também a titulo individual, conseguindo um brilhante 3º lugar nos 500m estrada. Premiada foi também a prestação na prova a Americana das meninas portuguesas - Elisabete Batalim, Andreia Canha e Cristiana Costa, com um magnifico 3º lugar.



Em 2011  mais uma mão cheia de medalhas nos campeonatos da Europa de cadetes e juniores em Itália. Edna Pereira e Andreia Canha nos 10000 e 15000m a eliminar, respectivamente, obtiveram medalha de bronze. Dina Rodrigues foi vice-campeã europeia nos 10000m pontos e Carlos Rocha garantiu o bronze nos 5000m pontos.

Em 2012, Dina Rodrigues volta a brilhar e obteve duas medalhas de bronze a titulo individual nas provas de 10000m pont/elim. e 10000m eliminar e, em parceria com Andreia Canha e Glória Pereira na prova americana conseguissem a prata no escalão de juniores do Campeonato da Europa de Szeged - Hungria.




Em 2013, e mais uma vez Dina Rodrigues volta a subir ao pódio desta feita no escalão sénior. Esta atleta conseguiu o 3º lugar na prova de 10000m pontos.

Em 2014 os protagonistas foram outros. Voltamos aqui ao género masculino com Diogo Marreiros, Martin Dias e Ricardo Esteves a obterem um extraordinário 3º lugar na prova americana dos Campeonatos europeus em Geisingen. Resultado que os catapultou para o Mundial na Argentina e, onde esta tripla voltou a voar bem alto obtendo mais um bronze na prova americana. Este com sabor a ouro ou prata, grande prova destes miúdos, tive o prazer de a ver em directo.. 





Este ano (2015) foi a vez da Daniela Rodrigues sair medalhada, tal como já foi noticiado aqui no blog. Excelente 3º lugar desta jovem patinadora.

Aqui falei sobre os resultados mais relevantes ao serviço da selecção nacional em campeonatos da Europa e do mundo, mas muitos outros resultados de peso têm sido obtidos pelos patinadores lusos em contexto nacional e internacional.
Muitos outros nomes são referencias e  fizeram e fazem parte da modalidade, quer patinadores, treinadores, dirigentes ou familiares. A todos eles um grande bem haja ;)




Proxima  → Página inicial