COMO ESCOLHER OS PATINS CERTOS

Esta é uma pergunta que muitos fazem antes se quer de saber patinar...

PATINS DE 3 RODAS

O Futuro dos Patins em Linha? ou Apenas uma Moda?.....

POWERSLIDE FOTHON

Ilumina o Teu Caminho e Patina de Noite com o Máximo Estilo!.....

POWERBLADING

Já Ouviste Falar de Powerblading? Convidamos-te a Conhecer Esta Nova Forma de Patinar com Adrenalina Máxima!.....

ROLLER DERBY

Já Conheces Esta Modalidade? Roller Derby Veio Para Ficar!...

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

World Roller Games - Nanjing 2017



Estão prestes a começar os World Roller Games, este ano a FIRS, Federação Internacional dos Desportos Sobre Rodas (Roller Sports), juntou todos os campeonatos mundiais das modalidades tuteladas por esta entidade, num só evento. É a primeira edição e já se adivinha um sucesso.

São um total de dez modalidades sobre rodas: Patinagem Artística, Inline Alpino, Inline Downhill, Inline Freestyle, Hóquei em linha, Hóquei Patins, Roller Derby, Roller Freestyle, Skateboard e Patinagem de Velocidade.



Os WRG 2017 decorrerão entre os dias 26 de Agosto e 10 de Setembro na cidade de Nanjing, capital da província de Jiangsu na República Popular da China.
Poderão acompanhar toda a acção destes Jogos através da Internet e dos seguintes links que aqui deixamos:


Portugal também participará nas modalidades de Hóquei em Patins, Patinagem Artística, Patinagem de Velocidade e Skateboard, sim, leram bem, Skateboard! Esta será a primeira prova com a modalidade Skateboard sob a alçada da FPP e, para disputar o Mundial na vertente de Half Pipe, o seleccionador e treinador Luís Paulo, um histórico da disciplina no nosso país, escolheu o jovem Marcelo Plácido, de 17 anos.

Podem ver aqui a entrevista feita ao seleccionador e ao atleta:


Por cá desejamos boa sorte a toda a comitiva tuga que representará, com a máxima dedicação e empenho, o nosso país. E deixamos um convite a todos os amantes destes desportos para não perderem a oportunidade de acompanhar as prestações dos nossos atletas neste evento em directo, que certamente será um marco histórico tanto para eles como para todos nós! 

Deixamos aqui um calendário para poderem estar atentos e seguir as modalidades que mais vos interessa: (Clicar na imagem para ver melhor)




terça-feira, 22 de agosto de 2017

Watermelon Tour 2017



Passou por Portugal a primeira edição da Tour de Agressive Inline Watermelon, de 14 a 21 de Agosto oito bladers percorreram Portugal de norte a sul passando por uma série de skateparks espalhados pelo Território Nacional. 

O Agressive Inline é uma modalidade que em Portugal já viveu melhores dias e esta trupe com todo o seu carisma, boa disposição e alguma insanidade mental, andou a espalhar a  sua magia, divulgando e motivando a muitos, certamente, para se aventurarem por este desporto que não sendo nada fácil é um desafio para os mais corajosos e destemidos!

Em breve teremos um vídeo documentário sobre esta aventura que partilharemos convosco através das nossas redes sociais.

Deixamos o Cartaz da Tour assim como um pequeno clip que serve de teaser para o que aí vem! 




video


Alguns links para os interessados:

Instagram da Tour
Produtor do vídeo (e Blader também)

Bladers:

Martin Bandera Rodrigues
Edu Lima (Duracell)
Javier Orlando Garzon 
Erik Potru
Dexter Dex Dextroyer
David Perez
Xavi Eguino

Patrocinadores:

Monkey Urbanwear
Powerslide
InGravity
ProDG
Rollerandslide




segunda-feira, 21 de agosto de 2017

NOVOS Twister Edge - Brevemente no Mercado!



Já não é segredo para ninguém, a Rollerblade vai lançar a nova versão dos Twister! São eles os Twister Edge. Com uma bota completamente nova de design bastante apelativo, a Rollerblade promete manter este modelo como um dos mais vendidos.

Pelo que sabemos até agora, estes novos Twister Edge prometem maior rigidez do conjunto e maior conforto. Os pontos de ancoragem foram alterados permitindo mais versatilidade, o Cuff tem um V-cut na parte posterior oferecendo mais conforto e controlo em manobras e travagens de freeskate, o liner (botim interno) é construído de espumas de última geração com desenho anatómico, os buckles também levaram um upgrade, embora na minha opinião o sistema de aperto do twister nunca foi um defeito, mas agora torna-se mais universal e passível de cutomização.
A Rollerblade anunciou 4 versões deste modelo, a normal: Twister Edge nas suas versões Homem e Mulher como já é habitual, os Twister Edge X: Uma versão com melhores rodas e rolamentos (rodas Hydrogen e Rolamentos Twincan Ilq9), os Twister Edge 3WD: Setup com 3 rodas de 110mm (rodas Hydrogen) e uma versão chamada de Twister Edge #1 mas da qual ainda não obtivemos imagens, só sabemos que as cores serão cinza e azul.

Twister Edge

Twister Edge W

Twister Edge X

Twister Edge 3WD

Como podem conferir, a nível estético e de design estamos a falar de patins muito agradáveis, parecem bem mais robustos que os anteriores Twiester mas também muito menos arejados, não consigo descortinar nenhuma abertura de entrada de ar nestas imagens, o que me deixa um pouco preocupado, pois uma das coisas que adoro nos meus Twister é que os pés nunca chegam a atingir temperaturas extremas pois entradas de ar não lhe faltam. 

No que toca a preços, podemos apontar para valores dos 250€ ate os 350€ dependendo da versão escolhida.

Enquanto aguardamos mais novidades sempre podemos ver este vídeo que deixamos em baixo que serve como aperitivo para quem já ficou de olho nestes novos e bastante apelativos Twister Edge! 

Também já existe uma página do Facebook onde podem seguir as novidades sobre este modelo.



domingo, 20 de agosto de 2017

Quando Trocar os Rolamentos dos Patins?



Já explicamos aqui no blog como fazer a limpeza e lubrificação dos rolamentos de uma forma bem prática. Mas como saber quando chegou o momento de o fazer? ou como decidir entre limpar e lubrificar ou trocar por novos?

Pois bem, na maior parte das vezes uma boa limpeza e posterior lubrificação resolve o problema, contudo, um rolamento que ande muito tempo sem manutenção poderá ficar danificado ao ponto de não se poder fazer outra coisa se não trocar por um novo.

Uma das situações que normalmente levam à deterioração e posterior danificação dos rolamentos é andar na água.



Aqueles passeios à beira mar, pavimento húmido, possas de água e no limite a chuva, são tudo episódios que podem fazer com que os nossos lindos rolamentos comecem a chiar e a deixar de cumprir a sua função principal, rodar!...

Porque trocar de rolamentos?

Podemos fazer uma troca integral de rolamentos por vários motivos:

- Os nossos rolamentos antigos já não andam e nem com limpeza e óleo vão lá.
- Os rolamentos de origem dos patins eram fracos e queremos algo melhor.
- Os rolamentos estão cheios de ferrugem (a tal questão da água)
ou ainda:
- Queremos mesmo ter um segundo conjunto de rolamentos, assim em quanto limpo uns tenho sempre um kit pronto para utilizar. (Solução ideal para os mais "viciados")

Concluindo:

Seja porque sentimos que os nossos rolamentos já não são o que eram ou porque queremos fazer um upgrade e trocar por uns melhores (Ilq9, ABEC 9, Swiss, cerâmicos, etc) a troca de rolamentos é uma realidade bem presente para quem gosta de patinar, a pior coisa que pode acontecer é sentir que as rodas estão a travar e que os nossos patins não deslizam. 
Por tanto, toca a estar atentos a manter esses rolamentos sempre a rodar!

Roller & Smile! 
;)




quinta-feira, 15 de outubro de 2015

2º Passeio Com Rodas Pelas Ruas da Cidade do Porto - Académico Skating Tour



É já no próximo dia 25 de Outubro que se realiza na cidade do Porto o 2º passeio em patins (bicicleta, skate e trotinete) organizado pelo Académico Skating, secção de patinagem do Académico Futebol Clube (AFC).
O percurso será o mesmo que o ano passado perfazendo um total de 12Km em duas voltas no circuito. 
Está confirmada a presença de alguns atletas da equipa de patinagem de velocidade do Arsenal de Canelas assim como a do Ricardo Esteves, atleta da equipa Nacional Clube Desportivo da Escola Internacional do Algarve.
Não percas a oportunidade de patinar nas ruas do Porto e passar uma manhã bem divertida sobre rodinhas!
Faz já a tua inscrição através do link do evento: 

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Patinagem de velocidade - Mundial por um fio!




Este post servirá para noticiar a mais recente noticia em relação à modalidade. Segundo noticia de o jornal "O JOGO" - "Portugal tem o Mundial em Risco", acrescento eu, por causa da antipatia e falta de visão dos dirigentes desportivos da Federação Portuguesa de Patinagem.

Esq.- Dir.: Alípio Silva, Diogo Marreiros, Martin Dias, Ricardo Esteves, Lívio Medeiros

Passo a explicar, na modalidade de patinagem de velocidade, regida pela federação portuguesa de patinagem, os mínimos para a presença de atletas no Mundial, é a obtenção de medalhas no Europeu (segundo o que tenho entendido). 

Concordo que tenham que haver critérios objectivos para não haver duvidas em relação a quem vai ou não a provas internacionais. O que não entendo é o porquê de tanta dificuldade, depois dos logros conseguidos, em objectivar a presença dos nossos atletas na maior montra mundial para eles e para a própria federação.

O problema que se coloca este ano é que como os medalhados do ano passado, medalhas de bronze na prova a Americana no Europeu e Mundial, este ano não obtiveram medalhas no Europeu (mas que obtiveram um 4º lugar), possivelmente não serão convocados. Será que não têm direito a defender o bronze do ano passado?

Pergunto eu, então e a Daniela Rodrigues, que este ano foi medalha de bronze no Europeu, também não é convocada? Quer dizer, talvez seja a uma semana da prova e faça a viagem (para a China) um dia antes de iniciar a competição, parece-me que assim reunirá todas as condições para realizar um excelente mundial...

Importante de referir é que a maior parte das selecções nacionais  já têm as equipas formadas e a trabalharem para o dito Mundial 2015. Estamos a um mês da prova, não seria importante colocar já os nossos patinadores focados e orientados para a competição? Afinal de contas a FPP não quer obter bons resultados nesta modalidade?  Ou será necessário que estes atletas se nacionalizem por outro país para lhes ser dado o devido valor?? 


Noticia do Jornal - O Jogo

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Testando Chassi Powerslide MegaCruiser 3x125mm



Como já falado aqui no blog, as 3 rodas em linha vieram para ficar, se o ano passado (2014) já haviam alguns patins com esta configuração, no corrente ano não faltaram propostas, até a hipótese de comprar uns chassis que permitissem transformar os nossos patins em autênticos aviões! Falo claro destes MegaCruiser 3x125mm. 
Optei pela versão Gold porque esteticamente ficam mais bonitos na minha bota Rollerblade Twister Le Verde!


Antes de mais, deixem-me lembrar que estes chassis vêm apenas com a furação 165 mm, ou seja é imperativo que a bota tenha esta distância entre os pontos de fixação do chassi, de outro modo não conseguem montar este equipamento nos vossos patins.
Este set apresenta-se como uma opção bastante económica, pois não esquecer que estamos a falar de dois chassis em alumínio, 6 rodas 125 mm, 6 rolamentos ABEC 9, eixos e espaçadores incluídos!  
Quanto aos materiais nada de relevante a apontar, apenas que o chassi é feito em alumínio 6063 estampado e depois quinado o que confere à estrutura um suporte e rigidez qb...


Com um pouco de receio, por causa do diâmetro das rodas (125 mm), la montei e fui experimentar este setup na marginal de Matosinhos...
Senti uma diferença quando me coloquei de pé, pois as rodas que tinha nos Twister eram de 80mm e passar para 125 mm foi um passo muito grande, mas essa diferença desapareceu em poucos segundos...
De facto o centro de gravidade aumenta sensivelmente, mas a manobrabilidade deste setup é impressionante, as rodas estão bem juntas fazendo com que o chassi tenha apenas 255 mm de comprimento, isto, juntamente com o facto de só existirem 3 rodas em contacto com o chão, faz com que as manobras de curva, viragem, travagem, etc, consigam fluir em poucos minutos de utilização.

Comparativamente com os chassis de origem da RB que equipam os meus Twister LE, a distancia total de topo a topo com rodas montadas é de 330 mm e no caso do Chassi MegaCruiser 375 mm, logo, embora sejam rodas de 125 mm, o comprimento total só aumenta 45mm, menos de meio centímetro! Para o meu tamanho de pé (43 EU) não sinto muita diferença entre o chassi 4x80 e o 3x125 no que a manobrabilidade toca. 


Com este chassi consegue-se ultrapassar a fasquia dos 30 km/h com alguma facilidade, tendo ainda um bom controlo sobre o patim mesmo a velocidades superiores...

Depois deste pequeno teste passei para um segundo, este mais "a sério", fazendo Porto - Praia de Esmoriz (Juntamente com os outros 2 autores deste blog e integrantes da RS Team).



Da esquerda para a direita: Euzinho, Diana Santos, Fernando Santos, Penetra (Ivan)

Como podem ver no gráfico atingi uma velocidade máxima de 38,02 km/h e uma média de 14,85 km/h.
Patinamos quase 3 horas por vários tipos de piso, desde calçada portuguesa, paralelo, passando por terra batida, passadiços de madeira e o maravilhoso alcatrão. No final não senti nenhum desconforto tanto a nível da bota (RB Twister Le Verde) como ao nível do Chassi e Rodas (PS MegaCruiser 125 mm).
Como nota final deixo aqui alguns tópicos que destaco destes Powerslide MegaCruiser 3x125:


Positivo:
Preço, boa manobrabilidade apesar da altura, rápidos e estáveis a alta velocidade, habituação muito rápida. Passar irregularidades na estrada é muito mais fácil, menor nível de trepidação, fácil montagem e afinação.
Negativo:
Para freeskate ou truques de slalom deixam um pouco a desejar pois derivado à sua altura aumenta a pressão nos laterais do pé e com alguns minutos deste tipo de patinagem sentimos essa pressão nos tornozelos. Apenas duas cores à escolha que por vezes limita a compra por questões estéticas.
Conclusão:
Sem dúvida uma opção a ter em conta para quem gosta de "papar" quilómetros em patins sem comprometer a maneabilidade e manobrabilidade, saltos, curvas apertadas, travagens, derrapagens, slides... Tudo é possível com estes MegaCruiser 3x125!


Setup de Fernando Santos: Powerslide S4 FSK + PS MegaCruiser 3x125 Red - Em pleno teste todo-terreno!



quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Maratona Pamplona - Puente la Reina - O Testemunho


Neste artigo vou tentar expressar as minhas sensações no decorrer desta aventura. Demorei uma semana pois precisei de "mastigar" o que senti no passado fim de semana!


Sexta-feira foi o dia definido para a nossa partida para Pamplona, no entanto, já saímos de Aveiro no dia 19 à meia noite e pouco. Fizemos a viagem de carro até Bilbau (para apanhar o passageiro que faltava). Chegamos a Pamplona por volta das 10h locais. O dia começou bem e acabou bem mas pelo meio muitos imprevistos aconteceram. Desde ter comido o pior frango da minha vida, até (bem pior) o nosso carro ter desaparecido de onde estava estacionado.... Não sei quanto aos meus companheiros de viagem, mas eu fiquei sem chão, é mesmo caso para dizer... "E agora??!!". Graças à simpatia de uma senhora residente na cidade conseguimos perceber o que tinha acontecido. O carro tinha sido "roubado" pela policia municipal!! A história ficou em 130 paus, pumbas, toma embrulha!! Falo nesta peripécia porque de facto foi uma situação caricata e que marcou a viagem!



Melhores coisas viriam, à tarde após período de descanso fomos fazer um pouco de roller turismo pela cidade, bem gostoso que foi. Notem bem, cidade patinável e onde condutores, estranhamente para mim, respeitam patinadores sem que buzinem feitos loucos!! Assim se passou o sábado.



Levantamento dos dorsais. 
Paragem para umas tapas
Tugas todos reunidos 
Regresso a casa após as tapas
Domingo, dia da prova. Acordamos cedinho e fomos de patins para o local da partida. Pelo caminho paramos para pequeno almoço. Soube bem esta patinada matinal. 
Chegamos bem a tempo para o inicio da prova. Tantos patinadores. É de facto extraordinário sentir uma partida assim.


Sitio da partida
O meu local para partir
Momentos antes de partir
Partida da prova às 10h. E lá fui eu... Começou bem, a descer! Senti-me bem. A primeira subida custou, mas fez-se bem. As minhas pernas e a minha cabeça responderam relativamente bem até aos 20Km, sabia que não estava extremamente bem classificada, mas que estava bem. Até que apareceu a subida da 2ª meta volante!! Minha nossa... As pernas começaram a dar de si, a acusar a falta de treino! A cabeça bateu mal, pois sabia que só estava a meio da prova (por mim, acabava já ali).  A minha esperança é que, na minha cabeça estava um gráfico com bastante descida até à ultima subida. A descida do gráfico mudou de declive... Desceu sim, mas qualquer subidita que fosse era uma verdadeira tortura... Mas lá ia encontrando motivos para continuar, ora apanhava um pelotão, ora ia sozinha! 


O momento da prova mais terrível, foi ver ao longe a subida para o prémio de montanha... Quase me atirei para o chão a fazer uma birra... Mas pensei, não vai custar tanto assim. 2,5Km de subida  dolorosa, nunca 2,5Km me tinham custado tanto a fazer... Mais uma vez pensei, fico já aqui!! Mas avistei um senhor bem entradote e pensei, se ele consegue eu também! Fomos dando forças um ao outro, até que descolei dele nos últimos 800m de subida. Na minha cabeça só existia o pensamento que depois da subida era sempre a descer... Esse foi o meu pensamento nos últimos 800m de subida "a  seguir é sempre a descer... a seguir é sempre a descer...". Até que chegou a descidita tão pequenita, e voltou a subir!! A inclinação era para mim enorme, na verdade, quase nenhuma... lol



Mas se não tinha desistido até ali, não seria nesta ultima fase da prova... Vinha o que todos diziam ser uma descida perigosa. Digo-vos já, bendita descida, soube tão bem. Pena foi não ter sido sempre a descer vertiginosamente até à meta  :)



Nunca pensei ser tão bom ver a recta da meta.. A qual era interminável... lol



Na 1ª metade da prova
Algures entre Pamplona e Puente la Reina
Durante a prova
Na SUBIDA
A DESCIDA ;)
Cheguei sã e salva. À nossa espera estavam os sacos para levantar e comida. Lá fui levantar as minhas coisas e buscar comida. Já estava eu a comer a bela da massa quando fui buscar algo ao saco que me tinham dado e reparei que tinha algo. Um conjunto de rodas 110mm da rollerblade, rodas topo de gama. Percebi que tinha ganho um sorteio que estavam a fazer para a categoria de populares (atletas não federado). Maravilha, correu bem ;)


Chegados a Pamplona, após pequena viagem de autocarro, voltamos a calçar os patins e fomos até ao apartamento de patins. E, que bem que soube! Parece um pouco louco, mas não. Ainda bem que o fizemos ;)



Aqui fica o meu agradecimento publico a quem me acompanhou nesta aventura. Obrigado Adriano, Fábio, Hélder, Hugo e Tiago. Quando repetimos??



Para o ano quero voltar, com mais treino e com o objectivo competitivo de melhorar a minha classificação. Gostei da experiência e por mim teria voltado logo na semana a seguir!! 



Máxima: "Vai que dá..." :)



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Maratona Pamplona - Puente la Reira - P2P



É já no próximo Domingo dia 13 de Setembro de 2015 que se realizará a Maratona P2P - Pamplona-Puente la Reina. Esta é conhecida por ser a maratona mais dura do mundo a ser feita sobre patins. O traçado inclui um prémio de montanha e duas metas volantes.
Para terem uma ideia do nível de dificuldade do percurso aqui fica um gráfico bem elucidativo: 

Parece bem? A mim pessoalmente sim ;)

Pois bem, como não poderia deixar de ser, temos tugas inscritos nesta prova. A RS Team estará presente com a Diana Santos também atleta da Lusitana Roller Team. Com ela vão mais cinco tugas. Quatro patinadores dos Caravela Roller Team - Adriano Santos, Tiago Silveira, Fábio Sobral e Hugo Lopes. E ainda, enquanto individual, Hélder Martins atleta da velha guarda da patinagem de velocidade.

Eu tentarei, para além de completar estes duros 42km, fazer uma pequena reportagem na primeira pessoa, sobre esta mítica prova, para vos dar conta das sensações que irei experimentar no decorrer da mesma e assim poderem partilhar comigo do que por la passarei.

Em nome de toda a equipa da RollerAndSlide, desejamos boa sorte e força nas "canetas" a todos os corajosos que farão parte da comitiva tuga! Estaremos a torcer por vós :) 



segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Bootcamp With Flamin' Galah




No fim-de-semana de 5 e 6 de Setembro participei num Bootcamp de Roller Derby organizado pelas Lisbon Grrrls Roller Derby , no Clube Social e Desportivo do Bairro da Boavista, em Lisboa. Este Bootcamp contou com 19 atletas na classe de iniciados e 11 atletas da classe de avançados.
O Bootcamp foi dado pelo prestigiado Flamin' Galah, treinador da Team Australia, que acabou em 3º lugar na World Cup'14 e treinador das Victorian Roller Derby League's All Stars, que se encontram em 3º lugar no ranking da WFTDA. O horário do Bootcamp:

SÁBADO:
13H30 - Pagamento/Equipar
14H00 / 17H00 - BEGINNER / INTERMEDIATE class
17H00 - Break/Snack Time
17H30 / 20H30 - ADVANCED class
DOMINGO:
9H00 / 12H00 - ADVANCED class part I
12H00 - Break/Snack Time
12H30 / 15H30 - ADVANCED class part II


Sábado começou com uma aula para quem ainda não tem muita experiência ou que nunca tenha feito um jogo.

Foto By: Joana Borges
Nesta foto podem ver um pouco da aula, Flamin' Galah é o ultimo atleta com o equipamento Azul. Durante todo o Bootcamp ele manteve-se sempre muito interventivo para que todos soubessem o que ele desejava de cada um dos exercícios.
Mantendo sempre o foco no resultado final que desejava, foi começando por explicar as skills que queria que adquiríssemos e depois os movimentos específicos para as mesmas, e no final tudo combinado, resultou numa aula fantástica tanto para quem estava fazê-la como para quem estava a assistir na bancada...

Passado poucos minutos das 17:30h, começou a aula para quem já tinha alguma experiência, aula na qual participei com muito gosto.
A aula começou, tal como a anterior, com alguns skills de patinagem mas um pouco mais precisa e mais ágil que a anterior (tivemos que justificar o porque de estarmos naquela aula).
Depois de vários exercícios individuais, passamos para exercícios em pares em que treinamos os bloqueios e começando a aplicar as skills que tínhamos aprendido individualmente. O treino foi evoluindo passando de pares a trios e finalmente em 2 grupos que envolviam todos os skaters.



Tal como aconteceu na aula de iniciados, a evolução foi progressiva e os skaters em pista sentiram isso mesmo. Os exercícios eram executados de melhor forma, em menor tempo e com maior facilidade por parte dos atletas, o que resultou em rasgados elogios da parte do treinador.

Domingo aguardava-nos 6 horas de treino intenso com apenas 30 minutinhos de almoço, que passou a rolar, entre tirar protecções e tomar (no meu caso ) um super batido de proteína PFN.
Começamos com um aquecimento e fomos progredindo durante o dia, desta vez o treino foi mais específico em formações e offensives, foi um pouco mais desgastante fisicamente, mas todos adoramos e no final depois de 6 horas em cima de patins tínhamos absorvido todos os conhecimentos e garantidamente iremos usá-los.



A última foto com o Flamin’ Galah, que sempre se mostrou muito interessado em continuar em contacto connosco e a ajudar no que fosse necessário, quem sabe no futuro não terá oportunidade de jogarmos juntos...



Proxima  → Página inicial